A importância da lucidez

O altruísmo deve ser iluminado pela lucidez e sabedoria. Não se trata de consentir indistintamente com todos os desejos e caprichos dos outros. O amor verdadeiro consiste em associar uma benevolência sem limites ao discernimento sem falhas. Definido desse modo, o amor deve considerar todos os pormenores de cada situação e se perguntar: “Quais são os benefícios e os inconvenientes a curto e a longo prazo do que eu vou fazer? Meu ato irá afetar um pequeno ou grande número de indivíduos?” Transcendendo qualquer parcialidade, o amor altruísta deve considerar lucidamente a melhor maneira de realizar o bem para os outros. A imparcialidade exige não favorecer alguém pelo simples fato de sentir mais simpatia por uma pessoa do que por outra que também se encontra em necessidade, talvez muito maior.

Matthieu Ricard, “A revolução do altruísmo”, parte 1